Compartilhando emoções: a leitura literária em sala de aula

Vale ouro! A importância do esporte na formação e amadurecimento dos jovens
2 de maio de 2019
Educar é ir além da sala de aula
22 de maio de 2019

Atividade permanente em nossa rotina semanal, a Leitura Compartilhada tem lugar de destaque em nossas aulas e constitui uma importante ação do Ensino Fundamental na formação de leitores literários. A prática prevê uma série de objetivos que devem ser alcançados ao fim de cada leitura, entre eles se encontra a apreciação mais apurada da beleza do discurso literário cuja apreensão só poderia se dar por meio de leitores mais preparados. Normalmente, escolhemos clássicos das literaturas brasileira e universal que merecem uma atenção maior e realizamos observações sistematizadas por meio de atividades que acontecem duas ou três vezes por semana.

Ressaltamos que o professor desempenha um papel de grande importância durante a Leitura Compartilhada, pois possui a tarefa de servir de modelo de bom leitor nesses momentos programados dentro das variadas rotinas. É ele quem promoverá, junto à turma, a análise das características do autor, dos contextos de produção e recepção da obra, das personagens e da própria narrativa. Por meio de discussões previamente pensadas, promovemos a antecipação de situações da história, a construção de hipóteses baseadas nos perfis de personagens e o estudo da organização discursiva da literatura e suas relações com a contemporaneidade (não nos esqueçamos de que uma obra, para ser considerada clássica, deve permitir a reflexão de nosso tempo). Tudo isso sem deixar de lado as ilustrações quando estão presentes na obra estudada. Não se trata tão somente do estudo da linguagem verbal mas também da construção dos discursos como um todo em que entram em diálogo palavras, imagens e contextos.

É claro que se trata de momentos muito motivadores para a aprendizagem dos alunos e alunas, uma vez que nasce nos alunos aquele mesmo sentimento que provamos quando entramos em contatos com narrativas televisas: o desejo de quero um pouco mais e a espera ansiosa para o contato com os próximos capítulos. Não negamos que isso é mérito também dos professores que conseguem construir ambientes propícios para que “o gostinho de quero mais” seja estimulado nos alunos.

Todos os trimestres, uma nova leitura tem início e, junto com ela, muitos procedimentos são aprimorados e outros adquiridos. Imaginar onde a história acontece, viver as façanhas dos personagens, concordar e discordar dos fatos que envolvem a história fazem parte desse momento mágico que nossos alunos são convidados a conhecer a cada obra trabalhada.

Cristiane Bassani
Coordenadora do Fundamental I – Unidade I