G4 – 9ºC – Seca no Sertão: Saúde das Crianças

453

No Sertão nordestino, milhares de pessoas passam fome e sede, inclusive crianças. Mas, como podemos melhorar isso? Gostaríamos de registrar o que fizemos no decorrer deste artigo.

O desmatamento na região da Zona da Mata também contribui para o aumento da temperatura na região do sertão nordestino.  

Além disso o Planalto da Borborema, localizado a leste, é um relevo que funciona como uma das principais  causas da  seca no Nordeste. Ele funciona como uma espécie de barreira natural, que dificulta a entrada de umidade para a região do sertão nordestino, favorecendo assim a existência da seca no agreste.

As secas enfrentadas no Nordeste se transformam em um grande problema social, o qual faz com que a população mais pobre do Sertão viva, muitas vezes, em situação precária, sem saneamento básico, acesso à educação, alimentação adequada, atendimento médico, entre outros, que acabam prejudicando a saúde dessas pessoas, por isso, além do governo e de ONGs que já tomam algumas medidas para ajudar a população, nós também devemos ajudá-los de alguma forma. Esse é o foco do nosso trabalho realizado durante o ano.

Seja para cozinhar, para beber, para produzir ou para os cuidados com a higiene, a falta de água provoca efeitos devastadores para a vida das famílias que vivem cada vez mais vulnerabilizadas. Para tentar conter os efeitos da situação histórica, vivenciada nos estados da Bahia, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Sergipe, Alagoas, Paraíba, Pernambuco e Minas Gerais, o Governo Federal busca articular soluções para melhorar as condições de vida daqueles que vivem expostos a este problema. Em 2013, o Estado beneficiou mais de 1 milhão de pessoas com o Bolsa Estiagem, auxílio financeiro para agricultores familiares dos municípios em situação de emergência ou calamidade pública. O Governo Federal enviou 5.262 carros pipa para 783 municípios. Também foram construídas 93.452 cisternas, sendo 26.155 na Bahia e 16.965 em Pernambuco.

Criadores de gado do Sertão já amargam perdas significativas no rebanho com a morte de animais por falta de pasto e água. Eles mostram-se preocupados porque, dia após dia, os animais vão perdendo as fontes para beber e comer, causando fome na população da região. Ou seja, esse problema se torna relevante a partir do momento em que a vida das pessoas é afetada. Por motivo da seca, os preços de rações sobem demais, o que leva os criadores de gado não conseguir alimentar seus gados, o que aumenta o preço da carne; assim, como essa população não tem dinheiro para comprar a carne, ela acaba passando fome.

Além da dificuldade em comprar carne ou criar gado, a população que vive nesses lugares precisa plantar seu próprio alimento, mas devido a grande seca,  não conseguem pois os alimentos de que necessitam não estão adaptados ao clima. Por isso a população fica sem alimento, e consequentemente, passa fome.

A falta de alimentos, tanto a carne quanto vegetais, afeta muito a população que vive lá, principalmente as crianças. Sem uma alimentação adequada, as crianças que vivem no sertão ficam com mal-estar, fraqueza, indisposição, além de contrair diversas doenças como desnutrição, raquitismo, anemia, que podem levar à morte. Muitas crianças que nasceram no sertão vivem somente até os quatro ou cinco anos de idade, ou morrem antes mesmo de nascerem pois não aguentam a condição de extrema fome e pobreza.

O saneamento básico no Sertão é muito precário. A população de lá enfrenta a falta de saneamento básico e de água encanada devida à seca e à falta de investimentos do governo. Os números oficiais comprovam que a precariedade do setor  do saneamento básico tem reflexo na saúde de adultos e crianças brasileiras. Segundo o IBGE, entre 2016 e 2017, 1.935 dos 5.570 municípios (34,7%) registraram epidemias ou endemias ligadas à falta de saneamento básico, como casos de diarreia, leptospirose, cólera, malária e hepatite.

Devido às condições de vida precárias a região do Brasil com a maior taxa de mortalidade infantil é a região do Nordeste, conforme mostram os dados, do IBGE de 2013, do gráfico acima. 

As principais causas da seca do Nordeste são naturais. A região está localizada numa área em que as chuvas ocorrem poucas vezes durante o ano. Esta área recebe pouca influência de massas de ar úmidas e frias vindas do sul. Logo, permanece durante muito tempo, no sertão nordestino, uma massa de ar quente e seca, não gerando precipitações pluviométricas (chuvas).

A nossa proposta final de intervenção era conseguir entrar em contato com alguma ONG, mas infelizmente não conseguimos, então foi decidido que iríamos focar totalmente no instagram, então criamos um perfil para postar o avanço do nosso trabalho (https://www.instagram.com/?hl=pt-br). O nosso objetivo com a criação desse instagram é conscientizar as pessoas sobre os problemas enfrentados pela população que vive no Sertão, principalmente em relação aos problemas de saúde causados pela seca e suas consequências (como a falta de água e alimentos, falta de acesso a hospitais, saneamento básico, educação, entre outros).

Integrantes:
Ana Paula Freitas D’Elia
Gustavo dos Santos Oliveira
Guilherme de Paula
Raissa Yukari Kumagai Tanaka
Pedro Henrique Bento.